Cobertura especial Webinar: Mulheres Fortes e Corajosas. Qual o segredo delas?

“Mulheres Fortes e Corajosas. Qual o segredo delas?”

Webinar realizado pelo Instituto Paranaense de Relações Internacionais (INPRI), com o apoio institucional do escritório Graça Advogados Associados.

Mulheres são assim, fortes, cheias de energia, vigor e sim, elas têm a capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo! Elas são empreendedoras, geram negócios, inspiram outras mulheres e não têm medo de percorrer grandes e difíceis jornadas. São exemplos de coragem!

“Tratamos sobre os desafios e os segredos de mulheres que, mesmo no meio de tantas lutas, dão a volta por cima e chegam a cada dia mais perto do sucesso”, explica a advogada Denize Cabulon Graça, mediadora do evento digital. Acompanhe os melhores momentos:

Mediadora
Denize Cabulon Graça
– Casada e mãe de duas filhas
– Advogada, especialista em Direito Processual Civil
– Gestora Jurídica e Administrativa do Graça Advogados Associados

Convidadas
Myrian Recco
– Casada com Antonio Recco há 41 anos
– mãe de três filhos
– Diretora de Criação
– Proprietária da Recco Lingerie, de Maringá/PR.

Ludmila Kloczak
– Viúva
– Psicóloga
– Psicanalista
– Docente aposentada da UEL
– Doutora em Psicologia Clínica pela PUC/SP
– Membro associada da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo
– Membro do Núcleo de Psicanálise do Norte do Paraná
– Presidente da Academia de Letras, Ciências e Artes de Londrina.

Sandra Lúcia Graça Recco
– Viúva
– Mãe de três filhos
– Formada em Química
– Pós-Graduada em Marketing e Comportamento Organizacional
– Funcionária da Caixa Econômica Federal por 36 anos
– Vereadora de Londrina por 04 mandatos consecutivos de 2001/2016.

O que te faz se sentir uma mulher forte e corajosa?

“Isto vai sendo definido ao longo da caminhada. Não deixamos que a dor nos paralise. Aquele que persevera e tem resiliência acaba conquistando e sendo vitorioso. Cerca de 70% dos empregados em minha fábrica são mulheres. As lições nestes 42 anos de empresa são impressionantes. Devo o que sou hoje a uma funcionária guerreira e abandonada com 4 filhos. Isto nos espelha a todo momento”, analisa Myrian.

“Somos geradoras de vida. Como mulheres e mães, nossas forças ficam imensuráveis. Em minha trajetória política, conheci muitas mulheres fortes e corajosas, mas entendo que mulheres empreendedoras também precisam de colo”, ressalta Sandra.

“Coragem é um impulso que todo ser humano tem, mas no decorrer da história de cada um, ela vai sendo alimentada, fortalecida e desenvolvida ou arruinada, desvalorizada e desconsiderada. A vida mostra como exercer essa coragem. Meus pais foram imigrantes e principalmente minha mãe passou pela experiência da implantação do Comunismo da Ucrânia, passando pela fome dos 7 aos 10 anos. Ambos foram enviados para a Alemanha para cavar trincheiras na Segunda Guerra Mundial. Meus pais têm uma história de resistência que foram uma bagagem aos filhos”, divide Ludmila.

Mulheres fortes e corajosas também sentem medo? Quais?

“Nós mulheres somos preservadas através da missão de ser mãe. Com três filhos homens, o educar foi um dos meus maiores medos. O desafio do amor incondicional, do amar apesar de, verdadeiramente nos tornam fortes e corajosas”, traz Myrian.

“Existem coisas que nos impulsionam mais. Por 16 anos exercidos na via pública, eu sempre dizia às mulheres que para estarmos no mercado de trabalho ou na política, antecede uma família alicerçada. De que adianta ser uma mulher de sucesso, se não atinjo aquele espaço que me pertence na totalidade e posso trocar 100% do meu eu. Não existe sucesso maior que o nosso lar”, afirma Sandra ao tratar a família como maior força.

Como enxerga o espaço que a mulher ocupa na sociedade hoje?

“Já em 1995 cheguei ao cargo de gerência de banco quando todas as resistências possíveis aconteciam para uma mulher crescer profissionalmente. Do concurso interno nacional, hoje temos cotas e metas de cargos gerenciais para mulheres. Nós, de uma outra geração, sabemos o quanto avançamos até as cotas vistas hoje, muitas ainda maquiadas, como na política que pedem 30% de participação das mulheres. Mas quantas são, de fato, motivadas pelos partidos para chegarem até lá?”, reforça Sandra.

Acredita que hoje, ainda tenhamos obstáculos para nos reafirmar como mulher, mãe e profissional? Quais?

“Para nós as coisas são mais difíceis porque somos muito resistentes, não entregamos o bastão e isto incomoda muitas vezes. Incomodamos na política ou não gestão justamente porque abraçamos tudo, acreditamos nas questões. Então, não desistam dos seus sonhos”, diz Sandra.

“Vejo que não podemos dissociar a mulher empresária e empreendedora ou política, da mulher na família. Do sonho vivido sozinho, perde-se a graça. Esse empoderar da mulher já nasceu conosco”, aponta Myrian.

“As mulheres que vencem são aquelas que não têm problemas, mas sim desafios e se organizam para enfrentá-los. O medo acaba sendo usado ao seu favor. O que vemos na transformação das famílias, foi o mundo perceber a mulher como força de trabalho à disposição e por que não convidá-la e convencê-la que ali era o seu melhor lugar? Introduzida quase como serva, a mulher levou muito tempo para se afirmar, defender posições e provar que o seu espaço não era de servidão. Neste tipo de estrutura, a família fica para trás pois é realmente exigir uma jornada dupla de trabalho“, diz Ludmila.

Qual maior desafio de ser mulher hoje?

“Tenho comigo que alguma transformação social vai precisar acontecer ou vamos destruir novas gerações. Um dos conceitos mais fortes é que o trabalho em casa não é trabalho, é uma ocupação de menos valia. A mulher que não tenha vocação para ir ao mercado de trabalho não significa incompetência, sem inteligência ou cultura” explica Ludmila.

“Em toda a minha caminhada, valorizei a mulher unicamente gestora de um lar ou profissional liberal. Quando vemos um filho com menor êxito profissional que sonhamos, precisamos saber que isto não é fruto da mulher que trabalha fora, mas que a vida é assim”, diz Sandra.

Qual dica vocês podem deixa para nós, para que durante a caminhada a gente possa seguir a diante, mesmo com tantos desafios?

“Todas as minhas lutas foram transformadas em oportunidades, inclusive para ajudar ao outro. De todo o desafio que possui uma motivação correta, transforme pela glória de Deus. Sendo empresária, trate seus funcionários com dignidade e respeito. Sendo mãe, seja a melhor para a glória de Deus”, reforça Myrian.

“Neste momento único na História humana com a pandemia, como isto incidiu no papel da mulher? A mulher trabalhava, cuidava da profissão e da casa. Agora se vê assistente da professora, cozinheira quando já não mais ocupava esse espaço e vemos uma reversão de papeis. As identidades estáveis e organizadas foram sacudidas sob um custo muito elevado. A pandemia alterou valores, equilíbrio de forças, funcionamentos familiares e sociais, além do incremento da tecnologia. É um luto de um modo de viver que não vai voltar e estamos em um processo de transformação. Espero que as novas versões das identidades femininas incluam benefícios para todas, para as famílias e sociedade”, finaliza Ludmila.

“Sou feita de retalhos. Pedacinhos coloridos de cada vida que passa pela minha e que vou costurando na alma. Nem sempre bonitos, nem sempre felizes, mas me acrescentam e me fazem ser quem eu sou. Essa poesia de Cora Coralina traz o que eu tiro de melhor de cada um, homens e mulheres. Mulher: seja você. Para cada uma há um sonho traçado. Use e abuse das habilidades e dons adormecidos. Deixe aflorar tudo isto”, ressalta Sandra.

“Nos momentos onde falta coragem e precisamos vencer desafios, procuro compartilhar meus anseios e dúvidas com pessoas que possam me engrandecer. Exatamente como este momento. Quando nos calamos, parece que só nós pensamos assim, mas vejo tantas dúvidas em comum e hoje estou mais forte”, conclui Denize ao agradecer a participação de todas.

Oganização
O INPRI – Instituto Paranaense de Relações Internacionais é uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada em 2002, para assessorar e oferecer consultoria a pessoas físicas e jurídicas, visando a capacitação e disseminação de conhecimentos, por meio do fomento ao ensino, à pesquisa, assessoria e cooperação social, tecnológica e cultural, firmando parcerias e realizando ações que beneficiam profissionais, instituições e acadêmicos.

Apoio
Graça Advogados Associados. Com 20 anos de história, sendo eleito 3 vezes consecutivas como Escritório Mais Admirado pela Revista Análise Advocacia.

Home

Créditos: Artesania Comunicação Jurídica
https://www.artesania.adv.br/

Saiba Mais
Mas afinal, o que é empoderamento feminino?

Mas afinal, o que é empoderamento feminino?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.